ABTSES – Exclusiva para Servidores Públicos

QUERO CONTRATAR

Aqui você encontra as melhores opções de planos de saúde exclusivos para Servidores Públicos.

A transmissão do Coronavírus por pessoas assintomáticas e pré-sintomáticas

A diferença entre pessoas assintomáticas e pré-sintomáticas é simples: o assintomático, mesmo tendo sido infectado, nunca desenvolve os sintomas da Covid-19, como febre, perda de olfato, tosse, dificuldade para respirar, entre outros. Um paciente pré-sintomático está com o vírus em circulação no corpo, mas no período de incubação, prestes a desenvolver os sintomas dentro de alguns dias. 

Para o segundo caso, há evidências mais fortes de uma capacidade considerável de transmissão mesmo antes de os sintomas aparecerem. Em um estudo publicado no periódico Nature Medicine, pesquisadores acompanharam a cadeia de transmissão de 94 pacientes com Covid-19. Eles estimaram que 44% das infecções secundárias — que foram causadas diretamente por esse pessoal — ocorreram antes que qualquer tosse ou espirro fosse dado. 

Natália Pasternak, bióloga formada pela Universidade de São Paulo (USP), PhD com pós-doutorado em Microbiologia, esclarece este ponto em suas mídias sociais. Ela diz que “assintomáticos são aqueles que testam positivo, mas nunca chegam a desenvolver sintomas. E como sabemos disso? Porque os testamos repetidas vezes, eles continuam positivos, mas sem sintomas. Tem também aquelas pessoas com sintomas leves, mas que não correlacionam isso com doença, e como sintoma é subjetivo, já viu a confusão que isso pode causar. Então, já fica óbvio que não é tão simples assim determinar quem é pré-sintomático ou com sintomas muito leves”.  

O biólogo Átila Iamarino também esclareceu o assunto em entrevista à Globo News.  

“A recomendação de cuidado das pessoas e de distanciamento social continua sendo a mesma. Nós não sabemos quem vai manifestar ou não os sintomas, quando as pessoas vão transmitir o vírus, por isso todo mundo precisa continuar usando máscara e mantendo o distanciamento social, e recolhido, se possível”, disse Iamarino. 

 

FONTE: G1 e Veja Saúde 

Deixe um comentário